Os 4 grandes erros que mais levam as empresas familiares a falência.

September 2, 2017

 

 (…) o crescimento provoca mais do que uma simples mudança na dimensão do empreendimento. Em determinada altura (bem antes de a empresa chegar ao tamanho médio), a quantidade dos recursos se transforma em qualidade. Nesse ponto, mesmo se continuarem como donos exclusivos, seus proprietários já não dirigem mais a própria firma (…) em pouco tempo serão substituídos como proprietários.” Peter Drucker

 

(…) Acredita-se que as sementes da destruição de um empreendimento estão dentro do próprio fundador e da família.”   João Bosco Lodi, Fundador do IBGC

 

Comecei este artigo com duas frases que para mim fazem todo sentido quando falamos de empresas familiares, mas antes de continuar, vamos contextualizar o que se entende por uma empresa familiar. 

 

Empresa familiar: aquelas em que uma família detém o controle, em termos de nomear a gestão e alguns dos seus membros participam e trabalham na empresa.

É importante lembrar também que existem empresas que não possuem membros da família como parte da organização, mas adotando o chamado "paternalismo corporativo" (vou tentar escrever uma artigo sobre este assunto), também são vistas como modelo familiar. 

 

Bem, agora que estamos na mesma página quando falarmos de empresa familiar, deixe-me colocar um pouco de informação sobre o triste ciclo de vida desta empresas.

Segundo levantamento da Strategos Consultoria, 80% deste tipo de empresa não investem em planejamento estratégico, melhoria contínua de processos de gestão, plano de desenvolvimento pessoal e processos de sucessão.

 

Existem então 4 grandes erros que infelizmente são cometidos pela maioria das empresas de cunho familiar e que fazem com que 70% delas não consigam sobreviver até que a gestão passe sequer para a 2a geração familiar.Ou seja, a média de vida destas empresa é de 25 anos (Veja a tabela a seguir que a idade da empresa e tempo médio para sucessão, afinal de contas os CEOs envelhecem não é?).

 

 

A queda delas muitas vezes não se dá por falta de recursos e/ou má gestão financeira. Em muitos casos a falência se dá porque a empresa perda a "Alma", perde o "norte" e começam aparecer divergências de visão, valores e estratégia que destroem qualquer alicerce.

 

Então quais são os 4 grandes erros que derrubam as empresas familiares?

 

Falta de Planejamento estratégico: Como já citado, a falta de estratégia para o futuro. Falta de objetivos a longo prazo e alinhamento de visão e expectativa entre sócios, familiares e colaboradores, são um dos grandes vilões de empresas do tipo familiares.

 

Resistência a mudanças e Inovação: Hoje estamos "surfando" na era do conhecimento e que já é sabido que não terá fiz, mas haverá sim uma nova revolução, denominada "A 4a Revolução Industrial".

Deixo aqui um texto de Klaus Schwab (Presidente executivo do Fórum Econômico Mundial) que nos faz entender melhor o que já bate a nossa porta e que deve nos fazer abrir os olhos para a resistência a mudanças e constantes inovações.

"Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes", diz Klaus Schwab,

 

Falta de um plano de sucessão: A falta de alinhamento e um planejamento de longo prazo para possíveis sucessões, causa a maioria dos conflitos dentro da direção da empresa (sócios/familiares e sócios/externos) e é uma das principais razões de falência da organização, de acordo com o estudo da Strategos Consultoria.

 

Pessoas erradas no lugar errado e pessoas certas no lugar errado: Por se tratar de uma empresa com espirito ou até mesmo modelo familiar, novamente um dos grandes erros das pessoas que detêm o poder de decisão, é adotar o já citado "paternalismo corporativo" e com isso colocam pessoas ainda sem a preparação ideal em cargos de liderança e/ou estratégicos. Esta ação praticamente "mata" o intra-empreendedorismo, a colaboração e o senso de igualdade dentro da empresa. Consequentemente passa ao exterior menos credibilidade e internamente cria-se um falso ambiente corporativo.

 

Bem, se você é dono, acionista ou colaborador de uma empresa e se identificou com este texto, não precisa sair correndo, mudar de empresa, vender suas ações ou pedir aposentadoria (Isso se você tem um bom plano privado, é claro!). A dica é: "Tente influenciar as pessoas ao seu alcance". Se você é um colaborador, mesmo sendo mais complicado e o caminho de mudança mais longo, tente promover o discurso dentro do seu time a fim de chegar com idéias e plano de ação tangíveis ao seu liderado. Se você for um sócio externo, ou mesmo um dos sócios familiares; analisem bem estes 4 grandes erros e tomem medidas a curto prazo para mudar caso o cenário seja negativo.  

 

Ciclo de Vida das Organizações

Lembrem-se do ciclo de vida de uma empresa, citado por Ichak Adizes, onde ele definiu os estágios de amadurecimento das empresas e demonstrou que, tal como pessoas, as empresas crescem e morrem, passando por diversas fases, que se desenrolam numa sequência similar à de outros organismos vivos: infância, pré-adolescência (toca-toca), adolescência, plenitude, estabilidade, aristocracia, pré-burocracia, burocracia e morte.

 

As curvas “S” de desenvolvimento das organizações

Para melhor compreender como estes ciclos se repetem, cito dois outros autores, R. Foster e George Land, que também estudaram o assunto e chegaram, por outros caminhos, a conclusões parecidas, com suas “Curvas S” de Desenvolvimento das Organizações. Estas curvas também nos apresentam a questão da finitude dos negócios, caso estes não sejam repensados e reinventados de forma continuada.

 

É preciso se reinventar antes da curva de declínio começar a aparecer para vocês. Mas se você comete alguns destes 4 grandes erros, você corre o risco de nem ver a maturidade de sua empresa chegar. Irá à falência antes.

 

Olhem os exemplos de grandes empresas (entre elas empresas familiares) que se reinventaram antes de sua falência:

  • Universo Online (De portal de internet para uma Fintech);

  • Empresa BIC (Começou fabricando canetas e hoje tem um portfólio de mais de 100 produtos);

  • Jacuzzi Brothers (Acreditem, A Jacuzzi em 1900 era uma fabricante de aeronaves e se reinventou, aproveitou o know how em bombas hidráulicas e é sinônimo de banheiras de luxo e hidromassagens);

 

Espero que eu tenha novamente ajudado e contem com a equipe CoffeeIP para qualquer dúvida.

 

Força, Fé e Foco

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

RECENT POST

August 2, 2019

Please reload

  • Grey Twitter Icon
  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon

© 2017 by Coffee Ip. 

  • English Version
  • Instagram do Coffee IP
  • Twitter Social Icon
  • Facebook do Coffee IP